Salve o Ralph

Repensar significa pensar novamente, reconsiderar.

A comunidade Naturopatas do Brasil considera que essa seja a forma para as transformações positivas: Pensar a respeito.

Salve o Ralph é um curta-metragem que fala sobre a crueldade aos animais, em testes de laboratório.

São muito os produtos em diversos países que ainda usam esse método. Existem muitos testes que podem ter eficácia comprovada em cultura de células humanas. Mas a legislação entre os países é muito variável. E a cultura também.

A começar por rótulos: Nem todos os rótulos são iguais. A legislação americana permite que os fabricantes omitam várias substâncias neles. Mais de 500 produtos vendidos nos EUA contem ingredientes que já foram proibidos para aplicação em cosméticos no Canadá, Japão e União europeia.

A agência Nacional de Vigilância Sanitária no Brasil é quem faz a regulamentação dos cosméticos. Ainda assim, muitas das substâncias não estão presentes nos rótulos, bem como a quantidade usada de cada uma delas, por questões de proteção-segredo de fórmula. Encontramos ainda substâncias como chumbo, manganês e alumínio.

A legislação americana não obriga o fabricante a realizar testes com animais. Nem a agência reguladora FDA, nem a comissão que monitora a segurança do consumidor no país exigem que as empresas testem cosméticos e produtos de uso doméstico em animais. Inclusive o FDA incentiva alternativas aos testes com animais. No site: www.fda.gov, na seção sobre testes de cosméticos em seres vivos, a agência faz a seguinte declaração: “O FDA apoia o desenvolvimento e o uso de alternativas aos testes com animais, bem como a adesão a métodos sem sofrimento animal para avaliar a segurança de cosméticos. Seguiremos sendo os maiores defensores de metodologias que visem ao aprimoramento, à redução e à substituição de testes com animais, por métodos que não os empreguem.

Por outro lado, países como a China exigem testes em animais.

É válido lembrar que o mercado se movimenta de acordo com a demanda. Se a informação séria aumenta, a base para critérios de escolha cresce.

É importante conhecer as nomenclaturas.

Produtos não testados em animais e produtos veganos nem sempre são nomes intercambiáveis.

Nem todo produto não testado em animais é vegano. Nem sempre o inverso é verdadeiro. Os produtos cruelty free e seus ingredientes não são testados em animais, enquanto os veganos não contem nada de origem animal.

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: