Fundamentos do Ayurveda

Ayurveda é o conhecimento do ciclo da vida ou da dinâmica da vida.

A vida (ayus) segundo o ayurveda é uma manifestação complexa e deve ser definida como a combinação de corpo (sarira), sentidos (indriajas), mente (Sattwa), e espírito (atma), o princípio vivente, eterno.

O ayurveda afirma que o corpo, quando desprovido dos sentidos, da mente e do espírito, está morto e não pode ser definido como vida, pois falta-lhe o princípio anímico ou espiritual.

A definição de ayurveda de saúde também foge aos conceitos mecânicos ou meramente técnicos que muitas vezes são encontrados nas ciências materialistas. Segundo o ayurveda, a saúde é uma combinação de diversos aspectos vitais do ser humano, além do equilíbrio global do organismo físico, ela inclui também harmonia mental, emocional e espiritual. Por isso o ayurveda diz que uma pessoa sadia é aquela que apresenta equilíbrio dos princípios vitais (doshas) e das enzimas metabólicas e digestivas (agnis), além de um adequado funcionamento dos tecidos (dhatus), dos produtos secundários do metabolismo (catabólitos), das excretas orgânicas (malas) e que experimenta a felicidade no espírito, nos sentidos e na mente.

Os oito ramos do ayurveda

O ayurveda tradicional está dividido em oito ramos:

  • Kaya chikitsa, que cuida dos desequilíbrios internos do corpo;
  • Bala chikitsa, que aborda de forma especial as doenças que acometem as crianças;
  • Graha chikitsa, que versa sobre as doenças mentais e emocionais;
  • Vurdwanga chikitsa, que enfoca doenças que se localizam na cabeça e no pescoço;
  • Salya chikitsa, que se dedica às doenças de natureza cirúrgica;
  • Damsta ou agada chikitsa, que trata os aspectos relativos à toxicologia;
  • Jara chikitsa ou rasayana, que se destina à promoção da longevidade e também da chamada doença do rejuvenescimento;
  • Vrusha ou vajeekara chikitsa, que consagra os tônicos e revigorantes, sendo também denominada ciência dos afrodisíacos;

Esses ramos não são divisões como as especialidades ocidentais, uma vez que o profissional com visão Ayurvédica não se dedica a apenas um deles; eles correspondem às diferentes áreas que formam o corpo de conhecimento clínico do ayurveda, e em conjunto, dão ao profissional um entendimento geral da arte, da ciência e do ser humano.

Os três principais:

Kaya Chikitsa geralmente traduzido nos textos clássicos como medicina interna, é um dos mais importantes e abrangentes, pois lida com a recuperação dos tecidos orgânicos em geral, quando danificados pelo ataque de disfunções e doenças. O ayurveda define o kaya chikitsa como aquele que trata das doenças causadas pela irregularidade ou supressão do fogo digestivo. Kaya em sânscrito significa digestivo e chikitsa, terapia. Desse modo, no ayurveda tradicional, o ramo denominado de medicina interna cuida basicamente de equilibrar o fogo digestivo, que corresponde a todos os processos metabólicos do organismo.

Jara chikitsa (rasayana): a ciência do rejuvenescimento

Jara chikitsa, a ciência do rejuvenescimento consiste em uma série de técnicas e medidas aplicadas pelo ayurveda com o objetivo de aumentar o vigor do corpo e a resistência orgânica, conferindo mais vitalidade e melhor função aos órgãos dos sentidos, aos tecidos do corpo, aos dentes, ossos, pele e cabelos.

Esse ramo do ayurveda aplica métodos que visam promover o intelecto, a memória e as diversas funções sutis do sistema nervoso, contribuindo para uma longevidade com saúde e bem-estar.

Muitas vezes o termo rejuvenescimento é usado sem o devido critério, podendo passar a falsa impressão de que o ayurveda promete transformar pessoas senis em jovens plenos de vigor. Não se trata disso. O objetivo desse ramo de terapia consiste em retardar o processo de envelhecimento natural e combater sintomas de envelhecimento precoce em pessoas muito desgastadas e esgotadas pelo estresse físico e mental ou por doenças degenerativas. Há cada vez mais pessoas que apresentam sinais de uma idade mais avançada do que sua idade cronológica e até mesmo pessoas relativamente jovens, portadora de doenças antes tidas como senis. E na verdade, a idade mais madura não deve ser sinal garantido de doença degenerativa e que ainda hoje são consideradas normais como perda de memória, perda da capacidade de aprender, a depressão ou o isolamento social, o reumatismo e aas dores crônicas ou rigidez articular. O que o ayurveda preconiza é que as pessoas possam ter idade cronológica compatível com idade biológica.

O outro nome dado a essa ciência é rasayana, que o ayurveda descreve como a terapia que cuida da nutrição dos canais de circulação de plasma, no sangue e nos outros tecidos do corpo. Do sânscrito a palavra rasayana é composta de dois radicais, que significa plasma, ou primeiro tecido do corpo, e ayana, que significa as medidas necessárias para a obtenção (do plasma). Assim, a terapia rasayana pode ser definida como as medidas específicas para a obtenção do plasma, sendo o primeiro tecido corporal, é o responsável direto pela produção de uma longevidade saudável.

Vajeekara chikitsa: a ciência dos afrodisíacos

Vajeekara chikitsa, a ciência dos afrodisíacos, tem também muitas vezes os seus conceitos mal interpretados. De acordo com o conceito ayurvédico, afrodisíaco não significa apenas um remédio ou produto que aumenta o desejo ou melhora o desempenho sexual. Trata-se também de uma ciência que inclui todos os fatores responsáveis pela normalidade das funções reprodutivas em geral.

Do sânscrito, o nome vaja significa alimento e vajee, derivado do primeiro, significa sêmen. Assim, o sêmen é descrito no ayurveda como o último tecido corporal, a essência final da transformação dos nutrientes. A palavra vajeekara pode ser traduzida como os fatores que promovem a excelência do sêmen, seja em relação à sua qualidade ou à sua quantidade. Inclui também os fatores que auxiliam na produção do sêmen, quer ele esteja reduzido, contaminado ou diminuído. Esse ramo do ayurveda também pode ser aplicado às pessoas que desejam otimizar as funções de seu sistema reprodutivo.

Convém ressaltar que jara Chikitsa, a ciência do rejuvenescimento, e vajeekara chikitsa, a ciência dos afrodisíacos, incluindo as rotinas diárias, cuidam da preservação e promoção da saúde nas pessoas sadias, enquanto os demais ramos do ayurveda lidam com as pessoas enfermas.

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: