Atividade do silício e o envelhecimento.

O silício está envolvido na elaboração da cartilagem, das articulações e de outros tecidos conjuntivos incluindo a pele, participando na síntese do colágeno.

Ele ajuda na manutenção e na conservação da estrutura da derme (principal camada da pele) com o passar do tempo, reduzindo os efeitos do envelhecimento.

Estudos comprovados da deficiência de silício no organismo:

-Fregert– 1959 Sugeriu que teores elevados de silício poderiam contribuir para a solidez, para a grande resistência dos tecidos queratinizados, e desempenhar um papel como barreira de absorção. Com efeito, demonstrou igualmente, que quando há queratinização incompleta como em psoríase ou na dermatose esfoliativa, o teor de silício é fraco, enquanto que no processo de queratinização, o teor de silício é muito elevado.

Carlisle– 1984 indica que as modificações dos tecidos conjuntivos são importantes com a idade. Durante o desenvolvimento fetal, a quantidade de silício aumenta. Nota-se constantemente durante a vida uma relação entre o teor de silício e o envelhecimento de certos tecidos.

Uthus e Seaborn– 1996 (Departamento Americano de Agricultura) é citado que no homem, a biodisponibilidade do silício que provém dos alimentos é fraca e diminui consideravelmente com a idade.

Sabemos que a involução do organismo (envelhecimento) é multifatorial, sendo relacionado ao declínio das funções orgânicas, a um alto estresse oxidativo e à diminuição do nível hormonal.

Aparecem as rugas… Digamos que esse é um estágio “mais visível”.  

Irreversíveis e inevitáveis, as rugas podem ser causadas por fatores considerados intrínsecos (alterações relacionadas com o tempo de vida) e extrínsecos (devido à ação dos raios ultravioleta, consumo de cigarro e álcool, stress, poluição etc.,).

Mas, internamente há muita coisa acontecendo.

E entre as teorias que explicam o envelhecimento, as mais conhecidas são:

Mutação somática: algumas substâncias químicas podem alterar o DNA, influenciando a longevidade.

Catástrofe de erros: erros de duplicação de DNA, nem sempre plenamente reparados;

Envelhecimento programado: envolvendo a degeneração das células com o decorrer da vida.

Resposta auto imune: ataque dos tecidos normais pelos linfócitos.

Acúmulo de metabólitos tóxicos: excreção incompleta;

Ligação cruzada: molécula de DNA, proteínas, enzimas e outras que sofrem ligações cruzadas com outras moléculas, diminuindo sua mobilidade e elasticidade.

Formações de RL (radicais livres): fragmentos reativos que promovem danos às moléculas de DNA.

Como medida coadjuvante no combate a um envelhecimento precoce e sua instabilidade a todo o organismo, o Silício é usado nas terapias orais e dermocosméticas.

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: