Quando as emoções “ganham corpo”

Cada vez que nos deparamos com situações que nos desagradam, seja por não ter acontecido do jeito que planejamos, ou porque perdemos algo ou alguém, surgem pensamentos conflitantes e obsessivos até que teimam em permanecer em nossa mente por horas, dias ou anos.

Isso gera sensações desconfortáveis. E emoções como medo, raiva, frustração, tristeza se instalam, porque nosso desejo foi reprimido.

Como uma bola de neve que rola morro abaixo, ela vai crescendo e se tornando mais densa, mais pesada. Assim são nossas emoções. Começam com um incômodo, reagimos com palavras e pensamentos negativos, com atitudes explosivas tomadas por impulso, gerando sentimentos que muitas vezes fogem ao nosso controle e dificilmente nos livramos deles.

O conflito aumenta à medida que damos maior importância ao problema.

Continuamos no erro quando perguntamos:

Por que isso tem que acontecer comigo?

Ao invés de perguntarmos “para quê?” o que devo aprender com esta lição?

Quando procuramos de forma sensata, serena e ponderada, criar estratégias para viver esse conflito, saímos deles com menos ferimentos.

Esses ferimentos são revelados pelo corpo, primeiramente com mensagens curtas: um desejo desesperado por comer doce, uma ardência no estômago, uma pontada no ouvido. Quando não “ouvimos” essas curtas mensagens o corpo então fala mais alto. E aí a dor se instala, por meio de uma gastrite, uma pneumonia, um osso quebrado… até que se torne uma doença mais séria. É como se o corpo dissesse – “Eu avisei… pare de se apegar a valores antigos e mude!”

Toda mudança requer adaptação.

Depois que aceitamos a situação e os pré conceitos são alterados, aprendemos a enxergar a paisagem por uma outra janela

Lidar com sabedoria com a nossa mente e observá-la como se estivéssemos do lado de fora, com amor, respeito, e tentarmos domá-la para que ela se mantenha livre de maus pensamentos, é uma proposta de “musculação mental”.

Para que isso seja possível, Pode ser necessária a prática da entrega através da meditação, da oração, dos pranayamas, dos mantras, ou qualquer outra técnica que traga um pouco de paz. Não que as respostas venham do “além”, mas certamente virão do coração.

Talvez este seja o segredo para manter a saúde mental, emocional e física.

Procure estar atento, atenta, pois a dor ou a doença são um grito da alma manifestando sua insatisfação pelo modo como você conduz a sua vida.

Um beijo no coração.

De Naturopatas do Brasil para você!

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: