A nova urgência da vida

A frase “o mundo mudou” antes dita em verso e prosa, nunca foi tão real.

Já dizia o poeta, que viver é um “ir-se embora da vida, hora após hora”.

A urgência do bem-estar e de equilíbrio vem quase em forma de prescrição médica. Há uma lista de condições antes normais e que agora precisam ser medicadas. Remédio para dormir, para acordar, para concentrar, remédio para defesa do organismo, remédio para tudo.

O desatino de tudo isso?

– Pensamentos, sentimentos e ações!

Seguindo sem parar, muito frequentemente ouvimos:

-Não tive tempo nem pra respirar!

O que acaba sendo a grande e lastimável verdade do dia.

Bem, a graça da estória é que podemos nos deparar com fatos na vida que não foram escolhidos por nós. Mas podemos escolher como reagir a essas circunstâncias.

Será mesmo?

Sim. Mas através de uma força de vontade indomável. Será preciso.

Porque conhecer é perceber, pela razão, que o objeto não muda. Permanece o mesmo. Apenas o olhar da mente se transforma.

Em nossa reunião de texto, cada um de nós lembrou de uma história. Numa delas, alguém queria muito um carro. A marca, o modelo, a cor, as rodas e acessórios, estavam todos muito bem planejados. O carro foi comprado e ganhou o nome de Theo.

Foram 3 semanas de “Theo isso”, “Theo aquilo”, “Theo hoje não está muito bem, fará uma revisão”. E depois Theo foi se normalizando, quase neutralizando-se para dar lugar a outro desejo tão expressivo quanto ele próprio. Theo havia se tornado algo muito normal demais.

Caminhando lado a lado com nosso desejo podemos dizer a ele:

_ Esteja comigo, mas não seja meu dono!

E como tornar-me mestre dos meus próprios pensamentos?

Primeiro convém lembrar que o pensamento tem a movimentação de um bumerangue: sempre volta!

No início do texto falamos da urgência de bem-estar, porque é preciso manter a paz mental, e tem sido desafiador em todos os sentidos: barulhos internos, barulhos externos, medo, revolta, falta de educação e tantos outros sentimentos, perturbações e ações negativas que ganharam corpo literalmente.

Mas, com muita força de vontade, vamos fazer um treinamento:

Se você pudesse ficar oco e encher-se novamente, que sentimentos teriam que estar presentes em você? Quais deles deveriam ficar de fora?

Esvaziar-se, desapegar-se do vício da preocupação, da insegurança, da inveja e encher-se de positivismo, generosidade, benevolência e resignação.

No final do dia, as palavras do início do texto seriam essas:

Hoje foi muito bom. Deu até pra respirar!

Esse texto é dedicado a todas as pessoas que têm a missão diária de viver melhor.

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: