Ação antiviral de um óleo essencial

Farmacodinâmica

A farmacodinâmica estuda como os óleos essenciais interagem com os vários locais no organismo: membranas celulares, canais neurais e musculares, neurotransmissores e neuroreceptores, enzimas intra e extracelulares etc.,

Interação com a derme:

A membrana celular, estrutura que entre outras funções, mantém íntegro e separado o conteúdo do interior da célula, em relação aos outros fluidos, é capaz de ser danificada pelos seguintes agentes: solventes lipofílicos, radicais livres e oxidantes. Devido à natureza química lipofílica dos componentes dos óleos essenciais (afinidade pela estrutura da gordura), quando aplicados topicamente, estes são capazes de agir na membrana celular das células da epiderme e da derme. Por esse mecanismo ocorre a ação e a penetração dos componentes dos óleos essenciais para o interior da célula através da membrana celular. Uma vez no citoplasma, os componentes dos óleos essenciais têm a capacidade de atuar na corrente sanguínea dos capilares da derme profunda, atuando então em células e órgãos alvo mais distantes.

Interação com outras membranas de células humanas:

Os componentes dos óleos essenciais podem atuar também sobre outras membranas das células humanas. Como por exemplo em trabalhos científicos já divulgados onde o componente majoritário do óleo essencial de limão Myrtle Backhousia citriodora, o aldeído citral, apresenta ação in vitro sobre o hepatocarcinoma humano (câncer de fígado) e sobre células fibroblásticas normais (fibroblastos).

Ação antimicrobiana:

Os óleos essenciais agem como antimicrobianos seguindo o mesmo princípio de ação na membrana celular fosfolipídica bacteriana, danificando-a e ocasionando desequilíbrio iônico de pH no interior da célula, que entra em colapso. É este o mecanismo antibacteriano do componente majoritário do óleo essencial Tea tree Melaleuca alternifolia, o monoterpeno terpinol-4.

Ação como antiparasita helmíntico:

A ação dos óleos essenciais como antiparasita helmíntico pode ser explicada por meio da simples dissolução da membrana lipídica dos parasitas pelos componentes do óleo essencial. Já existem estudos científicos que comprovam a ação antiparasitária intestinal de vários óleos essenciais, dentre eles o de Manjericão Ocimum basilicum.

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: