Geleia real e vitalidade

Onde é necessário um efeito energético e restaurador, a geleia real é bem-vinda. É um tônico natural com poder de atuação em todo o desgaste do organismo. Diante de stress físico e mental, colabora para reequilibrar o sistema nervoso, melhora a concentração e aumenta os níveis de energia.

Seus nutrientes exercem uma ação de reforço no corpo contra as agressões externas. Por isso muitas pessoas tomam geleia real nas mudanças sazonais ou antes do inverno para prevenir resfriados e infecções.

Trata-se de um produto natural da secreção das glândulas das abelhas nutrizes, responsáveis ​​por levar alimento às rainhas e larvas nos primeiros dias de vida. É a causa direta do crescimento e da longevidade da rainha. A Geleia Real é o alimento mais concentrado da natureza, devido ao seu conjunto equilibrado de vitaminas, minerais e elementos vitais, desempenhando um papel decisivo nos processos de restauração celular.

Não precisa de digestão, é totalmente assimilável e passa diretamente para o sangue para enriquecer os tecidos de reposição e crescimento. Riva em vitaminas B, C, D e E; lipoproteínas, enzimas, hormônios e outras substâncias. Tem propriedades bactericidas e bacteriostáticas, sais minerais, Manganês, Cálcio, Sódio, Potássio, Enxofre, Fósforo, Alumínio, Magnésio, Silício, Ferro, Cobre, Zinco, Cobalto, Estrôncio, etc. Basta dizer que nem todos os componentes presentes foram estudados ainda.

Propriedades da geleia real:

Ela exerce uma ação tonificante em alguns centros do hipotálamo, como resultado, aumenta a secreção do hormônio adrenocorticotrófico na hipófise.
Tem efeitos marcantes sobre a atividade das glândulas supra renais.
Contém hormônios de forma natural: estradiol, testosterona e progesterona.
Possui ação antiséptica.
Normaliza os processos metabólicos, melhora o metabolismo basal.
Estimula o metabolismo celular e é um excelente regenerador de tecidos.
Retarda o processo de envelhecimento da pele e melhora a sua hidratação e elasticidade.
Produz tolerância imunoespecífica.
Possui ação antiviral, antimicrobiana e antitóxica.
Tem ação hipotensora devido às substâncias acetilcolinérgicas: seu alto teor de acetilcolina reduz a pressão arterial e o ritmo das contrações cardíacas.
Atua favoravelmente nas afecções do trato gastrointestinal, preservando o estômago e o peristaltismo intestinal.
Contém gamaglobulina, um componente capaz de reduzir a senilidade e aumentar a resistência.
Aumenta a vitalidade, longevidade.
Aumenta a resistência ao frio e à fadiga.
Dá mais ânimo
Aumenta o conteúdo de hemoglobina no sangue, bem como leucócitos, glicose e glóbulos vermelhos.
Estimula a circulação sanguínea.
Estimula o crescimento em crianças subnutridas.
Possui ação antitumoral.
É utilizada no tratamento da arteriosclerose, cardiosclerose coronária, reabilitação após enfarte do miocárdio, estados astênicos e impotência sexual.
É particularmente ativa na incontinência urinária, convalescença por gripe (que é notavelmente abreviada) e em certas doenças de pele. Também é utilizada como complemento no tratamento de astenia, diabetes mellitus, úlceras, neurose, distúrbios da pressão arterial (principalmente hipotonia), anorexia, distúrbios da amamentação, seborréia facial, envelhecimento do corpo, neurite do nervo auditivo e muitas outras condições.

Curiosidades:

No mundo das abelhas, há uma porção certa de longevidade: a geleia real, o primeiro item produzido pelas operárias. Rica em proteínas e vitaminas e sais minerais, a geleia real, como o nome já indica, só é destinada ao cardápio da rainha, o que lhe confere o privilégio de viver por cerca de 5 anos, contra os 48 dias de vida que têm em média, as abelhas operárias.

É utilizada largamente como um complemento nutricional. Pesquisas atestam que ela possui todos os aminoácidos essenciais ao organismo humano. Acrescida de vitaminas B1, B2, B3 e B6, ela auxilia no desempenho físico e intelectual e na diminuição do estresse. O ideal é consumir a geleia real em jejum, colocando em baixo da língua ou ingerindo com mel, diluída em sucos ou água. Deve ser conservada no freezer.

Fora a rainha, que produz ovos, e os zangões, que fecundam a rainha, todas as abelhas (chamadas operárias) produzem geleia real, própolis e mel. As tarefas são determinadas pela fisiologia e pela fase da vida da operária. A partir do sexto dia de vida, surgem glândulas na cabeça, capazes de produzir a geleia real, depositada no casulo da rainha. Por volta do décimo quinto dia, essas glândulas se atrofiam e surgem outras, no estômago, capazes de produzir cera. Do 21º dia em diante, a abelha sai da colmeia para buscar pólen, néctar e resina vegetal (isso depende do que a colmeia precisa). O mel é feito do néctar das flores e fica estocado em favos. A própolis resulta da mistura da resina de árvores com cera e pólen. As abelhas a colocam nas frestas da colmeia e envernizam o ambiente interno para evitar bactérias.

NOTA: Por causa da própolis, que reveste toda a colmeia, diz-se que o ambiente é tão asséptico quanto um centro cirúrgico.

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: