A Naturopatia em novos caminhos

Mudanças económicas, crises pessoais e profissionais levam pessoas no mundo inteiro a optarem por novos caminhos. O interesse em abrir um novo negócio, conquistar independência de vínculos e horários, ter qualidade de vida são apenas alguns dos objetivos.

A falta de informações sobre a atuação no mercado, o volume do investimento em equipamentos, utensílios, commodities, locação de espaço de trabalho, mobiliários, capital de giro, especializações de qualidade, investimento em marketing e muitos outros aspectos que envolvem muitas profissões na área de saúde, fazem com que os aspirantes à Naturopatia abandonem o curso em andamento ou concluam a formação com uma série de insatisfações.

Ser empreendedor envolve espírito criativo, disposição para o trabalho e muitos riscos. Essa última parte, deve ser calculada. Não só em razão de investimento em dinheiro, mas o investimento em tempo de vida.

Um produto novo, como o serviço oferecido pela Naturopatia, irá requerer muita adaptação de mercado. Há bairros, cidades, estados e até mesmo países, onde a cultura local é diametralmente oposta aos valores orientados pela profissão. Isso significa que mesmo com um diploma na mão, e torcemos para que este tenha mesmo agregado qualidade e não sendo apenas “um papel”, o tempo de maturação para os negócios pode ser maior do que o imaginado.

Espera-se do profissional empreendedor características tais como: capacidade para criar, organizar, planejar, ser responsável, saber liderar, ser hábil, trabalhar em equipe, gostar da área, ter visão de futuro, solucionar, inovar, persistir, ouvir, comunicar e se expressar.

Chiavenato, um dos principais estudiosos sobre o tema Empreendedorismo, diz que: Além do conceito de Empreendedorismo, existe também o de Intra empreendedorismo que a maioria das grandes organizações pretende desenvolver em todos os seus quadros funcionais.

Nossa equipe complementa da seguinte forma:

Um profissional que nunca praticou numa empresa o intra empreendedorismo, não terá o perfil de fazê-lo sozinho.

Qual é a empresa que não gostaria de ter pessoas trabalhando como se fossem sócias ou parceiras de seu negócio e plenamente engajadas e comprometidas em alcançar os objetivos organizacionais? A diferença é que os intra empreendedores não são donos do negócio. Mas o espírito empreendedor é idêntico: dedicar-se de corpo e alma ao negócio da empresa, seja ela própria ou alheia. Diríamos que é um excelente treinamento.

Em nossa Comunidade, vemos cada vez mais pessoas engajadas com esse perfil e nossa mentoria convida a essas pessoas para o trabalho em rede conosco.

Será que o espírito intra empreendedor é um atributo “ensinável”, que pode ser adquirido com o tempo, experiência e esforço? Ou será como vocação, que nasce com a pessoa?

Na opinião de Luiz Scistowski, consultor de carreiras, especialista em Marketing Pessoal e diretor executivo da Personal Hunter Consultores Associados, o profissional pode desenvolver espírito empreendedor, mas é necessário que tenha aspectos de sua personalidade que sejam compatíveis com esse perfil. “Mudar o perfil psicológico é impossível. É preciso entender que algumas pessoas definitivamente não servem para atuar como realizadores vorazes e não tem curso ou treinamento que mude isso”, ressalta Scistowski.

O engano é pensar que a Naturopatia, por ser ciência da saúde e trabalhar com métodos naturais, não necessite desse mindset.

No nosso trabalho de consultoria vemos que as ideias são muito boas, de grande valor, mas que poucas caminham para a realização. Entre o processo mental e a decisão para a ação, há uma demanda de energia muito grande, e milhares de justificativas para não fazer.

IdeiaOportunidade
É criadaÉ identificada
Primeiro momento – brainstormSegundo momento – análise do ambiente, mercado, concorrência, estratégia de lucro
Baixa capacidade de organização e realizaçãoAlta capacidade de organização e realização
Acha que dá lucroProva que dá lucro
Valor econômico desconhecidoValor econômico mensurável

Uma ideia apenas se transformará em oportunidade se houver:

• Necessidade de mercado;

• Potenciais clientes;

• Valor agregado ao consumidor;

• Inovação tecnológica; e lucro, entre outros fatores.

Por sua vez, a oportunidade poderá surgir a partir de:

• Um “caos” do mercado;

• Mudança da Economia; e novos hábitos, entre outros contextos.

Em toda consulta clínica há elementos financeiros, de marketing, de investimento, de necessidade de reavaliação, de novos investimentos e novas implementações.

A Naturopatia muda com o mundo. E um grande equívoco é considerar apenas o aprendizado técnico como recurso único. Saber como introduzir a agulha com destreza em pontos certos, já não garante sua sobrevivência e crescimento no mercado.

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: