Medicina indiana – pequeno glossário

Pesquisa Cláudia Aguiar
Revisão técnica Chris Buarque
Revisão geral: Claudia Lopes

1. Agni. अग्नि em sânscrito, fogo biológico que governa o nosso organismo, sendo responsável pela boa digestão, absorção e assimilação de nutrientes, pelo equilíbrio da mente, bom funcionamento do sistema imunológico e pelas respostas neurais para o funcionamento orgânico geral.
2. Ajirn: Do sânscrito. Alimentos considerados incompatíveis com a nossa digestão.
3. Akasha: आकाश em sânscrito, termo para se referir ou definir o conceito de espaço ou o éter na cosmologia indiana.

4. Ásana: आसन em sânscrito, pose física na qual colocamos o corpo numa posição que possui um resultado e um efeito estrutural específico, dependendo da forma que cria no corpo. Posições de pé aumentam a força e o nível de energia. Flexões para trás excitam o sistema nervoso simpático.

5. Asthi Dhatu: Do sânscrito. Estrutura óssea do corpo direcionado pelo nervo (majja) que tem o papel de condução de informações para os impulsos motores e sensoriais.

6. Ama: Do sânscrito. O termo significa digestão de toxinas, ama é igual a toxina e pachana é igual a digestão.

7. Ayurveda: आयुर्वेद em sânscrito. Termo que vem do sânscrito e significa ciência da vida – é o mais antigo sistema de saúde de que se tem notícia. Com cerca de 5 mil anos de história, sua origem remonta ao território onde hoje ficam a Índia e o Paquistão.

8. Charaka Samhita: Do sânscrito. Texto sânscrito sobre ayurveda. junto com o Sushruta Samhita, é um dos dois textos fundamentais deste campo que sobreviveram da Índia antiga. É uma das três obras que constituem o Brhat Trayi.

9. Dhatus: Do sânscrito. Os sete princípios fundamentais que sustentam a estrutura básica do corpo. Eles consistem em rasa dhatu; rakta dhatu; mamsa dhatu; medha dhatu; asthi dhatu; majja dhatu e shukra dhatu os textos tradicionais costumam se referir a eles como os sete dhatus.

10. Dosha: दोष em sânscrito. Caracterização do perfil biológico do indivíduo, de acordo com o ayurveda. Existem três doshas: vata, pitta e kapha, sendo que cada um apresenta suas determinadas características. Todas as pessoas possuem os três doshas, mas em proporções variadas.

11. Guna: गुण em sânscrito. Qualidades da matéria segundo a visão indiana. São divididas em 3 tipos: tamas, rajas e sattva (inércia, agitação e harmonia, respectivamente).

12. Jal: Do sânscrito. Prática de beber água armazenada em recipiente de cobre é chamada de tamja jal, a “água da imortalidade”, e traz inúmeros benefícios para a saúde.

13. Kapha: Do sânscrito. Dosha que resulta da união entre os elementos água e terra. A pessoa de kapha possui boa resistência física, uma pele fria, oleosa e pálida, e cabelos crespos. Em relação à personalidade, são tranquilas, relaxadas, afetuosas e tolerantes.

14. Karma: कर्म em sânscrito. Nas religiões e filosofias orientais, está relacionado ao princípio de causa e efeito que liga os seres ao samsara, ou seja, ao ciclo de vida, morte e renascimento. Os princípios do karma se desenvolveram dos Upanishads Védicos e são fundamentais no Hinduísmo, Budismo, Jainismo e outras religiões orientais.

15. Majja Dhatu: Do sânscrito. Condução de informações para os impulsos motores e sensoriais do nosso sistema nervoso central.

16.  Mamsa Dhatu: Do sânscrito. Movimento para as articulações e que mantém a força física do nosso corpo.

17. Manas: Mente. Apresenta-se como um dos aspectos mais relevantes para a nossa saúde. O que nos ajuda a conhecer, a perceber e pensar.

18. Ojas: Energia vital que controla as funções da vida com a ajuda do prana. Ojas contém os cinco elementos básicos e todas as substâncias dos tecidos corpóreos. É responsável pelo sistema autoimune e pela inteligência mental.

19. Pitta: Dosha cujo elemento fogo predomina. As pessoas de pitta possuem pele clara, cabelos loiros ou ruivos e olhos claros, com pele oleosa. Suas características são a fala bem articulada, fome intensa, intelecto aguçado, veia empreendedora, atração por desafios, agilidade e força de liderança.

20. Prakriti: प्रकृति em sânscrito. Um conceito da era védica que significa colocar em primeiro, a forma original de qualquer coisa, a substância primária.

21. Prana: प्राण  em sânscrito. Força, vitalidade. Assim como vata é formado pelo ar e éter e representa a pura energia da vida (bio), sendo a mais sutil e que está por trás de todas as funções mais essenciais do corpo. Prana ou pranayama é a palavra utilizada no yoga para definir os exercícios de respiração, também podendo elevar a essência.

22. Prithivi: पृथ्वी em sânscrito. Elemento terra caracterizado pela rigidez, firmeza e solidez. Cada elemento corresponde a um chakra e, neste caso, o elemento terra pode ser encontrado no primeiro chakra, muladhara.

23. Rajas: रजस् em sânscrito. Um dos três gunas. considerados como as qualidades fundamentais da natureza. Rajas está relacionado à energia e atividade.

24. Rakta Dhatu: Do sânscrito. Oxigenação de todos os tecidos e órgãos vitais.

25. Ras Dhatu: Do sânscrito. São os sete tecidos básicos e vitais para o organismo, sendo responsáveis pela estrutura corporal do indivíduo. Surgem com base no tecido que os antecede e diversas evoluções ocorrem para que cada um deles se torne mais refinado que o anterior.

26. Sama agni ou metabolismo equilibrado: Quando há uma harmonia no sistema dos Doshas, o agni torna-se competente e a pessoa apresenta uma digestão, absorção e eliminação em ótimo estado. Sama agni ou função digestória equilibrada é o objetivo da terapêutica ayurvédica.

27. Sattva  rajas e tamas. Em outras palavras, sattva costuma ser frequentemente considerado como uma representação da pureza e da tranquilidade; rajas, por sua vez, é referido como a ação, a impulsividade e ao movimento. E tamas, à inércia.

28. Shukra Dhatu: Do sânscrito. São os sete tecidos básicos e vitais para o organismo, sendo responsáveis pela estrutura corporal do indivíduo. Surgem com base no tecido que os antecede e diversas evoluções ocorrem para que cada tecido se torne mais refinado que o anterior. 

29. Sushruta: Cirurgião e professor de Ayurveda que floresceu na cidade indiana de Benares (Kashi) no século VI a.C. O tratado médico Sushruta Samhita— compilado em sânscrito védico – é atribuído a ele. O Sushruta Samhita सुश्रुतसंहिता contém diversas referências detalhadas a doenças e procedimentos médicos.

30. Tamas: Princípio da inércia; em excesso na mente gera pessoas rígidas, depressivas e resistentes à mudança. Estas três energias coexistem dentro de nós e devemos reconhecê-las para sermos capazes de preservar seu equilíbrio.

31. Tejas: Regido pela força sutil do fogo e da água e está relacionado ao dosha pitta. É responsável pelo nosso fogo digestivo e transformação do que ingerimos em energia e vitalidade (e isso vai além dos alimentos). As enzimas, hormônios, aminoácidos e tudo que está relacionado ao nosso metabolismo são parte de tejas.

32. Tikshna agni: Do sânscrito. O fogo que queima tudo e apaga rápido. É mais comum em pessoas de constituição pitta, que têm um apetite voraz e um metabolismo rápido. Ficam irritadas quando não comem, exageram na quantidade de comida. Passada uma hora, já têm fome.

33. Vata: Energia responsável pelo movimento, tanto o movimento do corpo físico, como também dos pensamentos e sensações. É composto por ar e espaço.

34. Vayu:  वायु em sânscrito. Correntes, dentro do corpo, que transportam energia em diferentes direções. Em sânscrito, vayu significa vento, aquilo que flui, transporta ou move. O apana vayu é nosso sistema de eliminação energético e nossa força de ancoragem. Cada vayu está ligado a um elemento e o de apana vayu é terra.

35. Veda:  वेद em sânscrito, Ayu e Veda são as duas palavras, o “r” é só uma consoante de ligação. Então, ayu significa vida, de forma geral, e veda significa o conhecimento.

36. Vikruti: Do sânscrito. Significa alteração do corpo, mente e consciência. É o estado atual da pessoa, que sofre influências externas, sendo influenciado pelas condições atuais de vida e experiências, incluindo também, por exemplo, o clima, alimentação e estilo de vida.    

37. Vishama agni: Do sânscrito. Conhecido como metabolismo irregular, essa alteração resulta em um desequilíbrio do dosha vata (ar e espaço). Observa-se fome irregular, digestão variável, distensão abdominal, má digestão, gases e constipação.

38. Yoga: योग em sânscrito. Forma de exercício e prática espiritual que tem por objetivo unir o corpo, a mente e o espírito, possibilitando que as pessoas consigam se reconectar com a sua verdadeira essência.

Algumas fontes usadas como referência para esta pesquisa:

www.ayurveda.org.br

www.pt.wikipedia.org

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: