Como agem os diuréticos

Os diuréticos têm uma atividade muito conhecida: eles ajudam seu corpo a se livrar do excesso de água e sal acumulados, aumentando a diurese. Ou seja, você faz mais xixi. São especialmente úteis se você apresenta uma condição orgânica que o faça reter água, como insuficiência renal, insuficiência cardíaca congestiva e edema pulmonar. Alguns deles podem afetar os níveis de certos minerais no corpo. Muitos se apresentam na forma de medicamentos, outros, como alimentos funcionais. Grande parte dos medicamentos para este fim não são poupadores de alça de Potássio.

Na classe medicamentos diuréticos, estão:

Diuréticos tiazídicos

Diuréticos de alça

Diuréticos poupadores de potássio

As tiazidas relaxam os vasos sanguíneos, diminuem a pressão arterial ao mesmo tempo que removem o excesso de líquido. Eles podem ajudar em casos de insuficiência cardíaca crônica. A clorotiazida é uma delas.

Diuréticos de alça, por exemplo, furosemida, são usados ​​em pacientes com edema pulmonar, pressão alta, problemas renais e insuficiência cardíaca.

Já os poupadores de potássio não reduzem a pressão arterial, mas também previnem a perda de potássio. A amilorida é um exemplo. São considerados diuréticos mais fracos e podem ser usados ​​em associações às tiazidas ou diuréticos de alça. Não devem ser usados ​​com suplementos de potássio.

Algumas opções naturais:

Nigella sativa, cominho preto, semente preta ou alcaravia preta, é um diurético natural que pode ser tão eficaz quanto um diurético de prescrição comum. Aumenta a diurese e consequente redução dos níveis de sódio e potássio. Com característica de sabor apimentado, é usada na culinária indiana e do Oriente Médio. Atenção ao uso moderado. Altas doses podem gerar problemas de fígado.

Hibisco

A planta Hibiscus sabdariffa funciona como um diurético natural e também impede que o corpo se livre do potássio. Conhecida como rosela ou azeda vermelha. É frequentemente usada como um suplemento medicinal ou bebida em infusões (“chás”).O preparo é feito mergulhando as pétalas secas da flor de hibisco em água quente.

Extrato da folha do abacateiro

As folhas de abacate contêm químicos bioativos, incluindo polifenóis, taninos, cumarinas, flavonóides, triterpenóides, fitoesteróis (especialmente β-sitosterol), biotina, α-tocoferol, caroteno, ácido ascórbico, escopoletina, quercetina, óleos e ácidos orgânicos com propriedades farmacêuticas A quercetina é um flavonóide vegetal natural que age como potente antioxidante, promovendo saúde ao coração e bem-estar geral, melhorando a circulação sanguínea, diminuindo a pressão arterial e reduzindo a hipertensão.

E por quase último, mas não menos importante, lembremos sobre o que é o edema:

É o inchaço causado pelo excesso de líquido nos tecidos do corpo. O edema leve geralmente desaparece sozinho, mas alguns casos precisam ser tratados com diuréticos.

Antes de sair por aí consumindo “todos os diuréticos do mundo”, vale pensar sobre a causa da retenção de líquidos e agir mais diretamente sobre ela. Dois exemplos imediatos: sedentarismo e sobrepeso.

Muitos diuréticos potentes podem alterar os níveis de outros minerais importantes ao organismo, como o Magnésio. Pessoas que já dependam dessas medicações para uso contínuo, devem checar regularmente os níveos de Sódio, Potássio, Magnésio, a função renal e a pressão arterial.

O uso constante de medicamentos diuréticos pode levar a complicações como:

Problemas renais e hepáticos

Agravamento dos sintomas de gota

Risco de toxicidade fetal ou neonatal e parto prematuro se usado na gravidez

Usar alimentos naturais como gengibre ou salsa como tempero ou chá, na comida, é considerado seguro. Aqui chamamos a atenção para os suplementos não regulamentados. Eles podem ou não conter o que consta no rótulo.

O mito sobre a perda de peso

Perda de peso se dá com menor ingestão de calorias e maior gasto de energia: dieta saudável e equilibrada e praticar exercícios regularmente. Qualquer “peso perdido” por uso de um diurético, retornará à medida que o corpo se reidratar.

Os diuréticos naturais para fases agudas de algumas doenças, como hipertensão arterial, podem não ser eficazes. Outras medidas serão necessárias.

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

Um comentário em “Como agem os diuréticos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: