Por que “eu” não emagreço?

Colab.: Fernanda de Ornelas.  Revisão técnica: Chris Buarque.  Revisão geral: Claudia Lopes

A obesidade é considerada uma Pandemia. Estima-se que exista mais de um bilhão de pessoas obesas no mundo, sendo 650 milhões de adultos, e que a obesidade é caracterizada pelo excesso de gordura depositada em diferentes partes do corpo. OMS – Organização Mundial de Saúde – 04/03/22

Antes de seguirmos, a Comunidade Brasileira de Naturopatia deixa claro que não faz apologia à magreza e que o intuito deste texto é informativo.

Há diversos fatores que contribuem para o aumento de peso, como: genética, hábitos alimentares, sedentarismo, qualidade do sono e coexistência de comorbidades como diabetes, doenças cardiovasculares, doenças pulmonares, e infecções recentes. São as mulheres que enfrentam maiores dificuldades para o emagrecimento, quando comparadas aos homens. Possuem inclusive uma maior índice de massa de gordura, comumente localizada nas regiões de quadris, culote e nádegas. Mas o aumento de peso também está relacionado ao envelhecimento natural do organismo e, nas mulheres, com relação à menopausa. Como regra geral, perdemos massa magra e ganhamos massa gorda. E tanto a obesidade como o sobrepeso também estão ligados à fatores emocionais. Por exemplo, uma baixa autoestima que pode levar à compulsão alimentar (distúrbio alimentar pelo consumo exagerado de alimentos com ou sem a sensação de fome). Sentimento de culpa, rejeições, medos, traumas, depressão, preocupações em excesso, ansiedades diversas e a falta de fé em si mesma podem interferir diretamente na motivação e determinação.

A Naturopatia, pelas Práticas Integrativas Complementares, pode auxiliar no balanço energético do organismo e dessa forma, viabilizar o emagrecimento.

Visão da Medicina Tradicional Chinesa:

O órgão Baço-Pâncreas é chamado de “a casa da mente e dos pensamentos” onde o esforço físico e mental excessivos, assim como o excesso de preocupações, podem enfraquecê-lo, colaborando com retenção de líquidos e dificultando a circulação e a perda de peso.

As questões sociais na perda de peso das mulheres

Fundamental é tratar a causa, não basta tratar os sintomas. As mulheres sofrem constantemente de acúmulo de funções e excesso de autocrítica São exigências que podem levá-las a diversos desequilíbrios e um deles, é o desequilíbrio alimentar. Aceitar-se e impor limites, é fundamental.

A ajuda da Terapia Floral:

Um método natural, sem contraindicações e que não contem princípios ativos em suas composições. Os Florais tratam a causa destas alterações como medos, traumas, baixa autoestima por falta de fé em si mesma, tristezas, ansiedades e medos, além de auxiliar em estímulos para a conclusão de tarefas com ânimo e disposição física e mental.

Conclui-se que o emagrecimento não depende de um único método, e sim de um conjunto de ações que pode trazer o resultado desejado, além da saúde do corpo, da mente e de uma vida mais feliz. A Naturopatia dispõe de importantes e eficazes ferramentas para auxiliar neste processo além de prevenir doenças e colaborar na manutenção da qualidade de vida e autoconhecimento.

Fontes como referência:        

‘Tratado da Auriculoterapia”

Prof. Marcelo Pereira de Souza

“Guia Prático de Medicina Chinesa”: Para Autoconhecimento, Saúde e Bem-estar” Ed. Alfabeto          

https://fcmsantacasasp.edu.br/

https://sp.unifesp.br

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

3 comentários em “Por que “eu” não emagreço?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: