Aromaterapia como atividade profissional

A Aromaterapia atrai diferentes olhares e públicos. Uma provável razão para a “confusão” que se faz em torno do assunto.

O mundo dos aromas, de maneira geral, sempre leva ao bem-estar. Nem sempre a um efeito terapêutico. Assim temos a Aromacologia, Aromaterapia e Aromatologia. Recentemente passamos a ver a tendência da perfumaria terapêutica. Isso é Aromaterapia. São formulações com com óleos essenciais no produto final. Têm portanto, um efeito terapêutico bioquímico. “Sem misticismos”. Este efeito se dá entre olfato, receptores no sistema límbico, atividade em neuroceptores e glândulas, bem como através da via transepidermal (pele). Já a Aromacologia, como o próprio nome indica, é o estudo da influência dos odores no comportamento humano e para examinar a relação entre sentimentos e emoções. O profissional é então um Aromacologista. A Aromatologia contempla o uso interno de óleos essenciais, como ocorre já há tempos, em grande parte da Europa. Inclui o efeito dos produtos químicos nos óleos essenciais através da ingestão oral e absorção por mucosas. Neste casos frequentemente realizado por um Herbalista. Um aromatologista precisa ser capaz de entender a composição química dos óleos essenciais e misturar estes óleos para garantir sua aplicação segura e eficaz. Por essa razão, são profissionais com extensa experiência clínica.

Óleos essenciais não são inócuos e podem ser perigosos se usados de forma incorreta. Quando você “carrega” o título de Aromaterapeuta considera-se que você possa participar de qualquer conversa a respeito do sistema endócrino, fisiopatologia do estresse, bioquímica, anatomia do sistema olfativo, sistema límbico e emoções. Assim sendo, Aromaterapia não é misturar óleos essenciais em base neutra (óleo ou creme). A isso chamamos de produtos à base de óleos essenciais. Observa-se no Brasil um grupo restrito de profissionais especializados nesta carreira e que se apresentem como tal. Dando a entender que é uma “coisa menor” dentro da vastidão de técnicas que a Naturopatia comporta. Se você conhecer com profundidade 12 óleos essenciais, suas funções terapêuticas e quais os constituintes químicos responsáveis pelo mecanismo de ação destes óleos, podemos considerar que você está num bom caminho.

é somente dessa forma que a Aromaterapia abre possibilidades para um mercado cada vez mais promissor como, empresas de aviação, shoppings, centros financeiros, laboratórios e perfumistas.

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

2 comentários em “Aromaterapia como atividade profissional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: