Anemia e a falta de ânimo

Colab. Fernanda de Ornelas.  Revisão técnica: Chris Buarque.  Revisão geral: Claudia Lopes

A anemia está além de uma condição “apenas” fisiológica, mas de várias alterações que comprometem a qualidade do sangue, reduzindo sua capacidade de fornecer oxigênio para os tecidos do corpo.

Pode ser:

Aguda: por perdas sanguíneas ou em períodos de convalescença de pós-operatórios.

Crônica: por má absorção de alimentos.

E por Deficiência na produção de sangue.

Também é muito comum em pessoas jovens, sendo a deficiência de ferro o maior problema nutricional no mundo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), atinge até 30% da população mundial e destes, o maior percentual é em países em desenvolvimento como na América Latina. A anemia pode ser considerada indicador de pobreza de nutrição e saúde, por deficiência de Ferro, tipo mais comum no Brasil.

Com ciclos de vida distintos e bem marcados, a mulher e suas necessidades de Ferro variam de acordo com a quantidade e qualidade de cada alimento, absorção e estado nutricional. Focamos aqui na anemia ferropriva, a crônica, ligada à má absorção de alimentos e que atinge mais as pessoas hospitalizadas e com baixa imunidade, idosos que sofrem de diversas deficiências, mulheres com distúrbios menstruais causando perda hemorrágica e crianças subnutridas. Mas a principal variação ainda é a ausência de nutrientes causada por sobrepeso, obesidade, excesso de consumo de alimentos artificiais, vida sedentária entre outros fatores.

Nas mulheres também ocorre a menacme, associada a desordens menstruais e obstétricas (quando a mulher perde sangue mensalmente e necessita de aporte consistente de ferro em sua dieta). Apesar da saúde do corpo influenciar o estado emocional, precisamos assumir a vida e manter a vontade de viver. O sangue é o principal agente de vitalidade. O teor sanguíneo e o ânimo da pessoa estão intimamente relacionados. Emocionalmente, “dar o sangue” para o outro esquecendo de si mesmo, pode significar autodesvalorização.

Do Latim, “animus”, princípio espiritual da vida intelectual e moral do homem. Vida, alma. Anima (do Latim): alma, força vital

Com vitalidade, podemos realizar nossos objetivos, ter disposição para viver, ter energia, vigor físico, mental, emocional. Pela Metafisica (base da Filosofia que busca explicar a raiz dos problemas físicos pelas atitudes interiores onde a postura das pessoas determina sua saúde), o anêmico não cultiva a chama da vida dentro dele mesmo, não acredita que irá transpor obstáculos e quando se depara com frustrações, mergulha no abandono de si mesmo. O desânimo é traço marcante na pessoa anêmica, normalmente indisposta, sem garra e vontade. Seu fluxo de vida é menor e não sente prazer ou alegria no que faz. A falta de segurança em si própria provoca o medo da vida o que a leva a apoiar o outro, gerando até dependências. É preciso tomar posse de si e se autoconhecer.

A Naturopatia, por meio de recursos naturais, apoia o estímulo da capacidade que é inerente ao próprio corpo para curar-se, por meio de conhecimentos ancestrais de cuidados em saúde de diversas culturas, em especial aquelas que consideram o vitalismo (existência de um princípio vital presente em cada indivíduo), que influencia seu equilíbrio orgânico, emocional, mental e energético. Portanto, a Naturopatia por conhecer e poder auxiliar o restabelecimento da saúde física, pode ajudar o equilíbrio integral da pessoa com o foco voltado para o ser humano e não à doença. O Naturopata aconselha em muitas situações, o tratamento também pela Medicinal convenciona. As Práticas Integrativas Complementares da saúde, ajudam no equilíbrio do ser humano, tratando também as causas emocionais dos desequilíbrios do corpo. A Terapia Floral, a Aromaterapia, a Fitoterapia, Cromoterapia, Medicinas Ancestrais e milenares como a Ayurveda e a Tradicional Chinesa ente outras terapias energéticas e naturais, são valiosas contribuições para o restabelecimento da saúde integral, tratando de forma eficaz a “causa raiz” e não apenas os sintomas.

Toda e qualquer orientação quanto ao uso de Fitoterápicos, Florais, Óleos essenciais e demais complementos, terapias, mencionados aqui necessitam de orientação profissional de um Naturopata, devidamente qualificado.

A Naturopatia e o uso das Práticas Integrativas Complementares não substituem orientação médica.

Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro, desperta”- Carl Jung

Fontes:

“Metafísica da Saúde “ Vol 2, Valcapelli e Gasparetto, Ed Vida e Consciência, 2001

https://www.febrasgo.org.br/media/k2/attachments/SerieZ4-2021Z-ZAnemiaZ-Zweb.pdf#page=131

“Guia Prático de Medicina Chinesa” Para autoconhecimento, Saúde e Bem-estar.” Dra Ana Clélia Mattos , Ed Alfabeto,2019

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: