Colorterapia

As cores afetam o estado mental. Interferem nas emoções. Colorterapia ou Cromoterapia é uma técnica terapêutica que utiliza-se das cores como terapia coadjuvante no tratamento das doenças.

Na maior parte do tempo, não atribui-se uma relação direta entre tratamentos clínicos que há muito são utilizados com os tratamentos propostos em Spas e consultórios de saúde holística integrativa. Por exemplo, a terapia de luz é usada para tratar o transtorno afetivo sazonal, um tipo de depressão que geralmente aparece durante o outono e o inverno. A fototerapia com luz azul é comumente usada em hospitais para tratar a icterícia neonatal, uma condição que afeta bebês. A condição causa altos níveis de bilirrubina no sangue, tornando a pele e os olhos amarelados. Durante o tratamento, os bebês são colocados sob lâmpadas halógenas ou fluorescentes azuis enquanto dormem, para que sua pele e sangue possam absorver as ondas de luz. Essas ondas de luz os ajudam a eliminar a bilirrubina de seus sistemas. Além disso, as pesquisas sugerem que durante o dia a luz azul pode melhorar: estado de alerta – atenção – tempo de reação – humor geral. À noite, a luz azul não traz os mesmos benefícios, podendo interferir no ritmo circadiano. Ela suprime a melatonina, gerando prejuízos ao sono.

Grupos de pesquisas têm sido conduzidos a respeito da relação luz verde x redução da dor. Vale ressaltar sempre que como técnica coadjuvante, não substitui o analgésico. O que se nota é que em muitos tratamentos para a dor o analgésico por mais potente que seja, não consegue interromper o sofrimento do paciente. A terapia com as cores aumenta o conforto, promove o relaxamento e tem ação celular efetiva. Padma Gulur, MD, professora de Anestesiologia e saúde da população na Duke University School of Medicine, tem pesquisado o efeito dos óculos com filtro de cores nos níveis de dor. Seus primeiros resultados sugerem que os comprimentos de onda verdes diminuem a dor aguda e crônica. Considerando a epidemia de opióides e os efeitos colaterais de muitos analgésicos, Gulur diz que há uma necessidade urgente de opções não farmacológicas para ajudar a controlar a dor. “Ainda estamos nos estágios iniciais… mas [sinal verde] pode significar uma alternativa razoavelmente segura e eficaz aos medicamentos que ajudam os pacientes com a dor”, explica ela. Seguramente há algo a ser feito com relação ao ritmo a que estamos expostos à luz azul dos telefones celulares e computadores. A primeira delas, é proteger nosso ritmo circadiano, desligando esses recursos horas antes de dormir. Existem softwares, como o Flux, que podem ajudar. O Flux muda a cor da luz do seu computador dependendo da hora do dia, ativando cores quentes à noite e cores de luz solar durante o dia. Um outro recurso pode ser o uso de óculos que filtram esse tipo de luz. Mas os efeitos da luz em nós, não têm nada de novo em seu uso. Os antigos egípcios usavam salas de solário construídas com vidro colorido para fins terapêuticos. Gul, S., Nadeem, R. K., & Aslam, A. (2015). Chromo therapy-An effective treatment option or just a myth?? Critical analysis on the effectiveness of chromo therapy. American Research Journal of Pharmacy, 1(2), 62-70.

A cor é uma “energia viva” e esta presente até quando escolhemos a cor das roupas no dia a dia, segundo a sintonia com o nosso estado de ânimo.

Cromoterapia

Clinicamente, a cromoterapia é sugerida para impactar positivamente o comportamento e desempenho das pessoas. Como exemplo, vem sendo usada para: concentração, redução de comportamento agressivo/hostil, asma, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, pressão arterial, bronquite, dislexia e dificuldades de aprendizagem, desempenho atlético aprimorado, epilepsia, insônia, letargia, câncer de pulmão, enxaqueca, relaxamento muscular, reforma prisional, estresse, miomas uterinos e distúrbios da visão. A cor não é inócua. Em indivíduos acometidos por convulsões, já se sabe, através de um estudo realizado na University of Goldsmiths London que certas cores são mais propensas a causar esses ataques epilépticos.

As cores são compostas de luzes refletidas que atingem nossas retinas à medida que os comprimentos de onda vibram. Nosso cérebro interpreta esses comprimentos de onda, o que acaba tornando nossa percepção da cor uma experiência física e sensorial. Cada cor tem propriedades diferentes que podem ajudá-lo a controlar ou alterar diferentes humores.

Cada cor tem propriedades diferentes que podem ajudá-lo a controlar ou alterar diferentes humores.

Vermelho

Associações: energia, motivação, coragem, circulação sanguínea, nutrição, ativação.

Laranja

Associações: para tratar fadiga, mal humor, conferir vitalidade e calor.

Amarelo

Para ativar o sistema nervoso e colocar a mente e o corpo em estado de alerta. Promover o aprendizado através do estado de atenção.

Verde

O verde Para pessoas hiperativas ou nervosas; ajuda a regular os ritmos cardíacos e respiratórios criando um ambiente harmonioso e tranquilo. 

Azul

Ajuda a transmitir paz e tranquilidade; Para tratar o cansaço mental e a sensação de solidão.

Violeta

Para tratar o espiritual; indicada para para meditação e imaginação. Ajuda no combate à ansiedade.

Publicado por naturopatasdobrasil

Comunidade Brasileira de Naturopatia. Notícias, tendências, divulgações científicas, saúde, bem-estar, beleza, sustentabilidade e ativismo social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: