Crimes à Amazônia. “Não foi o clima seco”.

Pesquisa conduzida por grupos do Inpe, Cemaden e da UFMA  Em média, 32% das áreas queimadas anualmente no bioma foram em terras agrícolas (dominadas por pastagens), seguidas por campos naturais (29%) e áreas de florestas maduras (16%). Ao avaliar o desmatamento e as anomalias de déficit hídrico, o primeiro fator contribuiu mais do que oContinuar lendo “Crimes à Amazônia. “Não foi o clima seco”.”